Cardápio de 4 de agosto

O Ora Bolas Food Lab retoma a sua viagem pelo mundo dos sabores e aromas com uma revisita ao Marrocos, terra do emblemático tajine; a versão festiva, com carne de cordeiro e frutas secas, é a base de nosso instigante Pomar Marroquino. Mais ao oriente, temos a Mujadarah, prato muito popular em todo o mundo árabe que nos inspirou a fazer deliciosas bolinhas de um arroz perfumado recheadas de cebola crocante, a novidade dessa semana. Para finalizar, Bola 8, a já conhecida trufa de chocolate meio amargo.
Além dos três itens do Cardápio da Semana, você pode também reservar o primeiro item fixo do nosso cardápio, a trufa de tâmaras com cacau, canela e água de flor de laranjeira, também muito comum no Marrocos e outros países do norte africano.

Pomar Marroquino: almôndegas de cordeiro envoltas em suave molho agridoce de frutas secas e especiarias; ideal para ser servido no pão – R$ 45,00 – porção com 300g.;

Mujadarah: bolinhas de arroz Basmati e lentilha recheadas de cebola crocante; acompanha molho de iogurte e pepino – R$ 25,00 – porção com 250g.;

Bola 8: trufas de chocolate meio amargo nas versões laranja, café e pimenta – R$ 15 – porção com 6 unidades (indicar sabor – pode ser apenas um deles, ou dois ou três).

Casbá: trufas de tâmara, amêndoas e cacau com água de flor de laranjeira, raspas de laranja e canela, cobertas de cacau (sem açúcar, sem glúten e sem lactose) – R$ 20,00 – porção com 6 unidades.

Os bolinhos são entregues prontos para consumo, basta aquecê-los na hora de servir. Cada porção é suficiente para duas pessoas petiscarem. Em geral, as três opções juntas podem render uma refeição para duas pessoas.

Sobre as formas de pedido: você pode pedir pelo WhatsApp (48 99127-0099), e-mail pedidos@orabolasfoodlab.com e Facebook Messenger.

Lembramos que o pedido deve ser feito até terça à noite, e ao fazê-lo deve ser indicada a quantidade de porções e a forma de entrega – ponto de retirada ou delivery.

Bom apetite!

Cardápio para 5/5

O cardápio para 5 de maio deixa o Brasil e sai para uma nova volta ao mundo. No extremo oriente, encontramos a cozinha agridoce e levemente picante de Xangai. No sul da Itália, uma tradicional comida de rua, atraente pela cor, arrebatadora pelo gosto (e que já entra no cardápio com o selo “preferido Ora Bolas”). No norte africano, a doce provocação das especiarias. Embarque nesta deliciosa viagem.

Là Qiú: almôndegas de carne suína caramelizadas em molho picante de mel e shoyu.
Receita de origem chinesa – R$ 30,00 – porção de 250 gramas.

Palla Gialla: bolinho de risoto de açafrão recheado com mussarela de búfala – R$ 35,00 – porção de 250 gramas.

Ghriba: instigante docinho marroquino com nozes e especiarias, crocante por fora e cremoso por dentro – R$ 15,00 – porção com 6 bolinhos.

Os bolinhos são entregues prontos para consumo, basta aquecê-los na hora de servir. Cada porção é suficiente para duas pessoas petiscarem. Em geral, as três opções juntas podem render uma refeição para duas pessoas.

Sobre as formas de pedido: você pode pedir pelo WhatsApp (48 99127-0099), e-mail pedidos@orabolasfoodlab.com e Facebook Messenger.

Lembramos que o pedido deve ser feito até terça à noite, e ao fazê-lo deve ser indicada a quantidade de porções e a forma de entrega – ponto de retirada ou delivery.

Bom apetite!

Ghriba

Ghriba

Suave docinho marroquino com nozes e especiarias, crocante por fora e cremoso por dentro.

Ingredientes: nozes, açúcar, claras de ovo, canela, baunilha em vagem, manteiga clarificada (ghee).

Saiba mais…

Ghriba é um docinho muito tradicional no Marrocos, onde a receita é passada de geração em geração. Em árabe, ghriba significa “estranho”, mas no árabe marroquino o nome ganha um outro significado: “o misterioso”.

E é mesmo misterioso o sabor desse doce – principalmente a versão escolhida por nós, o ghriba de nozes. No lugar do tradicional biscoito temos aqui uma espécie de trufa de nozes com especiarias, rugosa e crocante por fora mas macia e úmida por dentro.

São muitas as receitas, mas a mais popular no Marrocos é o Ghriba de amêndoas, mais parecida com um biscoito. O tipo mais apreciado pelos marroquinos é o Ghriba Bahla, um biscoito mais crocante e craquelado, sempre acompanhado do famoso chá de menta. O motivo da escolha pela receita com nozes é a concordância com a proposta do Ora Bolas, de doces que finalizem bem uma boa noite de conversa, boa comida e bebida – carne de porco e bebida alcoólica são considerados “haraam”, ou seja, proibidas pela religião muçulmana.

O Ghriba Ora Bolas também leva em sua composição açúcar de baunilha. Saiba um pouco mais sobre esse ingrediente.

Benefícios do consumo de nozes

Ricas em fibras de alta qualidade, antioxidantes, vitaminas e minerais essenciais, as nozes possuem propriedades que ajudam nas defesas do corpo – formação de glóbulos vermelhos, cicatrização, fortalecimento dos ossos e dos dentes –, combatem problemas cardíacos e infecções e atuam na prevenção do câncer. Além disso, melhoram o trato intestinal, amenizam problemas decorrentes da síndrome metabólica – entre eles o colesterol alto –, ajudam a manter estáveis as taxas de glicose no sangue e, em pequena quantidade, auxiliam na manutenção de um peso saudável se consumidas diariamente.

Ghriba, o templo

Uma curiosidade: Ghriba também é o nome de um templo localizado em uma das últimas comunidades judaicas que sobrevivem no mundo árabe, no centro da ilha de Sjerba, ao sul da Tunísia. Durante a festa judaica do Lag Baômer, que ocorre entre os meses de abril e maio do calendário gregoriano, a Sinagoga de la Ghriba recebe vários milhares de peregrinos – já que, segundo a tradição, o local conteria restos do Templo de Jerusalém.

Em 1985 e em 2002 a sinagoga foi palco de atos de violência. Na primeira ocasião um policial tunisiano abriu fogo dentro do templo matando cinco pessoas, entre elas quatro judeus. Já em 2002 um atentado suicida atribuído ao grupo terrorista al-Qaeda deixou 21 mortos e 30 feridos após um caminhão-tanque, carregado de explosivos e conduzido por um jovem tunisiano de 25 anos, entrar no local.

Fontes:
Moroccan Cuisine Marocaine
Wikipedia
http://www.mundoboaforma.com.br

Retornar ao Cardápio

Shurba

Shurba

Receita tradicional do Marrocos com leves bolinhas de codorna e claras em neve em caldo aromático com legumes e macarrão bifum (sem glúten)

Ingredientes – Bolinhos: peito de codorna e clara de ovo. Sopa: cebola, alho-poró, cenoura, aipo, salsinha, coentro, louro, tomilho, alho, urucum, sal, pimenta do reino e bifum (macarrão de arroz).

Leia mais…

A gastronomia de Marrocos (leia mais aqui) tem uma rica variedade de sopas, das mais substanciosas – caso da Harira, tradicional na época do Ramadã – às mais leves, como a simples Tadaffi (caldo de sêmola) e a requintada Shurba de pombo e legumes. Esta última, considerada um prato de luxo, foi a escolhida pelo Ora Bolas Food Lab como exemplo do refinamento da culinária marroquina.

A carne de pombo foi substituída por carne de codorna para moldar delicadas almôndegas. Das carcaças, é preparado um saboroso e perfumado caldo, ao qual também são acrescentados legumes como cenoura, alho-poró e aipo, e massa de fios finos. Tradicionalmente é utilizada a aletria (cabelo-de-anjo), mas o Ora Bolas Food Lab optou pelo bifum, massa finíssima feita de farinha de arroz, que não contém glúten, para finalizar a Shurba.

Fontes: Medina, Ignacio. Cozinha país a país – Marrocos. Editora Moderna; Wikipedia; Marrocos.com

Retornar ao Cardápio

Pomar Marroquino

Pomar Marroquino

Almôndegas de cordeiro envoltas em molho de frutas secas e especiarias. Inspirado em prato de origem marroquina.

Ingredientes – Bolinhos: Pernil de cordeiro, canela, cúrcuma, sal, pimenta do reino branca, cebola, miolo de pão, ovo e farinha de rosca. Molho: açafrão, cebola, alho, manteiga, azeite, figo seco, damasco seco e ameixa seca.

Saiba mais…

spices1

Mercado central em Agadir. Foto de Bertrand Devouard/WikimediaCommons

A gastronomia de Marrocos é uma verdadeira provocação aos sentidos – proposta que o Ora Bolas Food Lab procura seguir. Quem anda pelos mercados tradicionais daquele país se encontra imerso em uma profusão de aromas e cores de ingredientes que, nos pratos, se transformam em uma infinidade de sabores, a partir de suas diferentes combinações. Fartura também vista na influência das culturas muçulmana, judaica e cristã, dos egípcios e berberes, dos árabes e beduínos, dos espanhóis e franceses, e também dos povos da África Subsaariana, que ao longo dos séculos ajudaram a moldar uma culinária única, exótica e refinada.

kelaa-des-mgouna_rosino-02

Tajines em Kelaat-M’Gouna. Foto de Rosino/Wikimedia Commons

Ao lado do cuscuz, o tajine é um dos pratos mais emblemáticos da cozinha desse país. Trata-se de uma espécie de cozido, em que se preparam lentamente todos os ingredientes de uma só vez em um tipo de panela cerâmica com tampa cônica que leva o mesmo nome. O mais conhecido é o de carne e legumes.

Uma das carnes preferidas dos marroquinos é a de cordeiro – e talvez ela só não seja a mais consumida por ser mais cara que a de frango. O cordeiro é protagonista de muitas festas e celebrações, sendo preparado de diversas formas, inclusive em várias versões de tajine. Uma dessas receitas tradicionais, que combina frutas secas típicas do Marrocos, amêndoas e especiarias como cúrcuma e açafrão, é a base do Pomar Marroquino.

Diz-se que, para os marroquinos, cada refeição é uma festa. E o tradicional prato único – que de único não tem nada, pois costuma ser rodeado de acompanhamentos – colocado no meio da mesa transforma-se no centro de uma cerimônia, em que os participantes vão se servindo com a mão direita (utilizando apenas o dedo médio, o indicador e o polegar), às vezes com o auxílio de um pão, e tomando chá de menta. Até parece Ora Bolas. Os bolinhos no centro da mesa do happy hour, os amigos em volta, bebendo e conversando, fazendo de um simples encontro uma confraternização saborosa.

Fontes: Medina, Ignacio. Cozinha país a país – Marrocos. Editora Moderna; Wikipedia; Marrocos.com

Retornar ao Cardápio