Cardápio de 20 e 23 de fevereiro

O Ora Bolas Food Lab retoma suas atividades em 2018 com alguns de seus clássicos. Na terça-feira, 20, dia de pensar “Fora da Bolinha” (linha de antepastos), o cardápio é Coalhada Seca e Homus, duas delícias típicas do Oriente Médio que conquistaram todo o mundo, além da Casbá, a deliciosa e saudável trufa de tâmaras e amêndoas inspiradas em doces do Norte da África. Na sexta-feira, 23, bolinhas vão rolar: Pub, as suculentas almôndegas recheadas de queijo reino envoltas em saboroso molho de cerveja Stout e shiitake; Verde Índia, os picantes bolinhos indianos de espinafre e pimenta verde; Bola 8, as irresistíveis trufas de chocolate belga meio amargo. Afrouxem os cintos e embarquem conosco nesta fantástica viagem pelo mundo dos aromas e sabores que recomeça hoje.

TERÇA-FEIRA, 20/2

Coalhada Seca: tradicional pasta árabe que agrada a todos pela suavidade de seu sabor e de sua consistência – R$ 7,00 – 150 ml;

Homus: típica pasta árabe de grão-de-bico, tahine e alho – R$ 10,00 – 150 ml;

Casbá: trufas de tâmara, amêndoas e cacau com água de flor de laranjeira, raspas de laranja e canela, cobertas de cacau (sem açúcar, sem glúten e sem lactose) – R$ 20,00 – porção com 6 unidades.

SEXTA-FEIRA, 23/2

Pub: suculentas almôndegas de carne bovina (raça britânica) envolvidas em molho Stout de shiitake – R$ 45 – porção de aproximadamente 300g;

Verde Índia: bolinhas de espinafre, gengibre, pimenta verde e especiarias; acompanha molho de iogurte – R$ 20,00 – porção de aproximadamente 200g;

Bola 8: trufas de chocolate meio amargo belga – R$ 18 – porção com 6 bolinhas.

Os bolinhos são entregues prontos para consumo, basta aquecê-los na hora de servir. Cada porção é suficiente para duas pessoas petiscarem. Em geral, as três opções juntas podem render uma refeição para duas pessoas.

Sobre as formas de pedido: você pode pedir pelo WhatsApp (48 99127-0099), e-mail pedidos@orabolasfoodlab.com e Facebook Messenger.

Lembramos que o pedido de antepastos deve ser feito até segunda à noite, e de bolinhas até quarta-feira de manhã; e ao fazê-lo deve ser indicada a quantidade de porções e a forma de entrega – ponto de retirada ou delivery.

Bola 8

Bola 8

Deliciosas trufas de chocolate meio amargo com consistência ao mesmo tempo cremosa e firme, que desmancham na boca. Envoltas em cacau em pó. Também disponíveis nas variações laranja e pimenta.

Ingredientes: chocolate meio amargo, extrato de baunilha, creme de leite e cacau em pó. Opcionais: laranja cristalizada e pimenta caiena.

Veja mais…

Defina o que é uma trufa em poucas palavras: bolinhas de chocolate bem forte, com bastante cacau, firmes por fora mas cremosas por dentro, podendo ou não serem saborizadas com frutas, bebidas, especiarias ou condimentos. Sim, é uma boa definição, principalmente para o nosso bolinho, o Bola 8. Mas o nome, trufa, define também uma outra iguaria mais “selvagem”, e ainda mais poderosa: a trufa negra, um tipo de cogumelo subterrâneo que é um dos alimentos mais caros do planeta.

24_227

As trufas negras. Foto retirada do Pinterest

Trufas são as espécies mais raras e nobres de todos os cogumelos. Elas crescem entre 20 e 40 centímetros debaixo da terra, nas raízes de grandes carvalhos e castanheiras. Sua colheita é feita por caçadores que usam cães adestrados para farejá-las. O local é escavado, parte da trufa é deixada – para que possa se reproduzir novamente – e partir daí começa uma verdadeira corrida para enviá-las em menos de 36 horas até todos os seus consumidores ao redor do planeta.

Existem três tipos de trufas: a negra, a branca e a de verão, menos rara. Por ainda não se ter encontrado uma forma de cultivá-la – e pelo seu inigualável aroma – a trufa branca é a mais cara de todas, e o segundo alimento mais caro do mundo, perdendo somente para o caviar. Por duas ocasiões seu valor ultrapassou 100 mil euros em leilões realizados na Itália, mas a mais célebre trufa branca, de Alba, na Itália, custa até 15 mil dólares o quilo.

Ao contrário da branca, a trufa negra já pode ser cultivada: após anos de trabalho, pesquisadores criaram o carvalho trufeiro, que leva até oito anos para produzir os fungos. Encontrados naturalmente entre França, Espanha e Itália, os “diamantes negros”, como já foram chamados, vêm sendo colhidos também no Reino Unido, Estados Unidos, Suécia, Nova Zelândia e Chile, entre outros – e vendidos por valores entre 700 e 2 mil dólares. Escura, com aspecto mais rugoso e odor menos marcante do que a branca, a trufa negra costuma ser utilizada ralada diretamente nos alimentos ou para saborizar azeites especiais.

Mas e o chocolate?

Por causa da semelhança física com a trufa negra – e, acredito, por se tratarem também de iguarias especiais –, essas maravilhosas bolinhas de chocolate descritas no início do texto ganharam o nome de trufas. No Ora Bolas, optamos por uma outra analogia: a Bola 8, preta, que define a sinuca, fecha o jogo – e não precisa de mais nada.

Fontes: Wikipedia; megacurioso.com; terra.com.br;

Retornar ao Cardápio